Personare Ads

31 de dezembro de 2012

2012: Como esquecê-lo?



Eu nunca vou esquecer de 2012.

Sabe quando você sonha tanto tempo com uma coisa, e do nada, quando você menos espera, ela cai do céu? Foi isso que aconteceu esse ano com a minha casa nova. Ainda hoje, quase 4 meses depois, tem horas que acho difícil acreditar que seja verdade, que eu não estou dormindo.

Com o novo lar, o gosto pelo faça-você-mesmo ficou mais forte. A cada dia que passa e vejo minha casinha tomando forma do meu jeitinho, com a minha carinha, vou me realizando.

Descobri o que significa a história do filho que as blogueiras tanto falam. Agora sinto meus projetos como se fossem meus filhos. Alguns eu gosto tanto, que me dá prazer ficar olhando só para admirar. E dá um orgulho enorme saber que eu fui capaz de fazer aquilo! Isso mastercard não paga!

Entrei para o fantástico mundo da blogsfera. Conheci pessoas ótimas, e com elas,aprendi pra caramba! E fiz meu próprio blog. Que falar dele? Tem me dado um prazer enorme escrever cada post, tirar fotos para mostrar o passo a passo, ler e responder comentários, pensar no que escrever, pesquisar, visitar outros blogs.


Agradeço a aqueles que vibraram quando souberam que eu tinha conseguido realizar um sonho de anos.
E também, a aqueles que tiveram um papel fundamental neste início de blog - os que souberam antes e me deram força para ir adiante, os primeiros membros, os primeiros a comentar e fazer perguntas.

Feliz 2013 para todos vocês. E que venham mais inspirações para enchermos nossos lares de muito amor!

28 de dezembro de 2012

Mimos da casa - parte 1

Eu acredito que para uma casa ser um lar, ela tem que ser um porto seguro. Aquele lugar para onde você quer voltar e ficar quietinho quando lá fora tudo dá errado. Aquele lugar que você sente como sendo o seu espaço no mundo. Aquele lugar que te abraça em quaisquer circunstâncias. Aquele lugar onde você encontra suas referências.
Referências? Sim, referências. Adoro casas que realmente têm a cara dos moradores. Sabe aquele ambiente que você entra e pensa: "Essa casa só poderia ser de Fulano. Olha isso, olha aquilo... mostra bem os gostos de Fulano." É isso que eu chamo de casa com personalidade. De casa de verdade.
Mas como colocar suas referências no seu lar doce lar? Com os chamados mimos! Não precisa de muito. Um objeto estiloso aqui, um enfeitezinho ali, sua cor preferida acolá, quadrinhos.
Eu queria muito que a minha casa tivesse as minhas referências. Embora não esteja tudo do jeito que eu quero ainda, já posso dizer que me encontro aqui em casa.

É por isso que me deu vontade de mostrar para vocês os meus mimos. Para ficar mais fácil, e quiçá, mais saboroso, mostrarei um cômodo por post.

 
 
 
Essa flor porta chave foi presente de um amigo muito querido. Diz ele que comprou porque achou que tinha a cara da minha cozinha. Deve ter sido por causa dos azulejos estampados. Mas isso não faz diferença. O que importa é que eu amei a florzinha e o carinho dele!

 
Esse pôster conta a história do chocolate. Mamãe achou tão interessante, que tirou uma fotocópia e me deu. Achei genial e mega diferente. Uma ida ao Saara e uma folha de acetado resolveu o problema da moldura.

 
A boneca metre-cuca vovozinha na verdade é um puxa-saco. Achei tão fofo que não resisti. Comprei no camelódromo por 6 reais. Já o quadrinho com gancho foi uma aquisição de loja de 1,99.

 
Esse que segura o pano de prato veio da mesma loja de 1,99 do acima. Não sou fã de café, mas eles têm um ar retrô que eu amo tanto!

 
Na bancada ao lado do fogão, a tábua transformada em mestre cuca, que eu fiz para o desafio decor 2, saleiro de mesa e caixinha de chá que vive mais vazia que cheia (abafa).

 
Saleiro de perto: fusca. Foi um presente da mamãe, comprado na Tok Stok, alguns meses antes de eu me mudar para cá.

 
Na boa, esse me faria queimar a língua. Se eu visse isso 6 meses atrás, pensaria: "Mas que bobagem é essa? Hoje em dia todos os fogões são automáticos." Todos, não. O meu não é. E ter um lugar de fácil alcance para guardar fósforos tem sido uma mão na roda. E acho que junto dos azulejos e outros mimos, ele dá um toque frufru e antiguinho a uma cozinha com móveis modernos. Custou 4 reais num bazar.
 
 
Quer coisa mais retrô que disco de vinil? Essa fruteira veio da primeira edição do bazar decor. Foi amor à primeira vista!
 

 
Como eu moro sozinha, não preciso de muito lugar para guardar alimentos. Então, a prateleira acima da geladeira assumiu uma função puramente decorativa. Queria que tivesse alguns itens que remetessem a fazenda. O pato lá em cima é um porta papel toalha que eu roubei da casa da minha mãe. A escultura teoricamente é para ficar na janela, mas como eu praticamente não tenho uma, ela fica na prateleira, fazendo de conta que vê a banda passar. Já a latinha e a caneca vieram da Tok Stok quando ganhei de aniversário um cartão vale presente... e escolhi esse presentinho porque tinha os bichinhos da fazenda. As galinhas foram os primeiros mimos da cozinha. E elas vieram com ovinhos dentro, é mole? Adoro! E a latinha de biscoito, com motivo parisiense, por enquanto está só decorando. Mas pode também assumir um papel funcional, quando eu precisar.



Agora vem os queridinhos da geladeira:

 
À esquerda é a Frida Kahlo, lembrancinha de uma colega de trabalho que viajou para o México. No meio, uma lembrança que eu trouxe de Cusco. Esse tem um significado muito forte para mim, porque o Peru representa a viagem mais marcante que já fiz na minha vida. À direita, eu não sei o que é essa bonequinha. Ganhei quando participei num fórum nacional de museus, em Florianópolis. Mas ela me lembra um pouco as matrioskas, e resolvi ir com a cara dela.

 
Nas mesmas férias que eu fui para o Peru, em agosto desse ano, eu fui para o Chile. O primeiro ímã ali em cima, eu trouxe de Valparaíso. O que tem as bordas pretas, com uma frase, são da Casa de Pablo Neruda, em Ilha Negra. O corcovado me remete a pinturas naïfs e comprei há uns 2 anos, quando levei minha sobrinha para conhecer o cristo de braços abertos. Esse último, aí embaixo, é um dos porta-copos que eu transformei em ímã, lembra?

 
O de cima, é um porta copo trazido de uma viagem a Buenos Aires, em 2006. Está aí registrado o meu eterno amor pela Argentina! O de baixo, comprei num bazar por 3 reais (ô aquisição boa essa!) - mais retrô, impossível! Ambos podem reassumir a função de porta copos, é só tirar da geladeira e pôr numa mesa.

 
Esse foi presente da fotógrafa Vanessa Guerra, que estudou comigo. Não é lindo? Se quiser conhecer mais o trabalho da Vanessa, venha por aqui.
 
 

 
Fui criança no início dos anos 90. E os dominós foram um brinquedo marcante na minha geração: todo mundo tinha e em cada esquina tinha para vender. E na sessão extraordinária do bazar decor, encontrei esses. Tem como algo ter mais sabor de infância do que isso? Fico me lembrando das horas vagas em que meu pai jogava comigo no sítio de Itaboraí... ô delícia!
 
 
 

Aos poucos, vou mostrando outros mimos. Aguardem! 

23 de dezembro de 2012

O quarto da Penélope

O que passa pela sua cabeça quando se fala em quarto de menina de 2 anos? Rosinha, lilás e branquinho? Dispa-se dos preconceitos. Que tal azul turquesa e vermelho? "Ah, mas isso não é combinação de cores para criança pequena." Não? Eu se fosse você não teria tanta certeza assim, de antemão.

Quando eu conheci o quarto da Penélope, fiquei maravilhada. Não sabia que eu conhecia tão de perto uma mãe original, que fugia do lugar comum, mas sem perder a ternura e o toque de fofurice que toda menina precisa ter.

Vem ver?


Essa cama é da Meu Móvel de Madeira. Acho bem interessante, pois permite que Penélope suba e desça sozinha, sem perder a segurança à noite, quando basta colocar um rolinho no buraco.



Desde cedo é bom acostumar as crianças com as letras e os números, não é?

Num lado da parede, as letrinhas do alfabeto coladas na parede. De outro, os números.





Nem só de azul turquesa e vermelho vive esse quarto. Cômoda branquinha e nicho rosa:



Mesinha rosa com cadeiras "de adulto" em tamanho mini, da Tok Stok.  Reparou no tapete EVA? É sempre bom ter um lugar para fazer peraltices sem se machucar.
 
 
E a cortina? Olha só que coisa mais fofa!


De perto:


Poás vermelhos! Quem resiste? Eu é que não!




Até o teto foi caprichado. Luminária acessa...
 
 
... e apagada.
 
 
 
Nuvem de feltro e móbile de passarinhos. Muito lindo!
 
 

 Penélope só tem 2 anos, mas nada como um monte de livros alegres para já ir estimulando o gosto pela leitura. E não é que ela adora?



Bichinhos na parede.
 

 
O macaquinho pendurado na porta dá as boas vindas!
 
 

Como a Penélope uma vez prendeu o braço na cadeirinha, a mãe improvisou esta capinha de florzinhas para evitar novos problemas. E não é que ficou um charme?

 
 
O espelho do quarto do seu filho é feio? Não precisa comprar um novo. Tinta nele!
 


Se o teto recebeu cuidado, porque o chão também não receberia? A joaninha recebeu a tarefa de não deixar a porta bater.

 
 
E agora, a cereja do bolo: a porta do armário que foi pintada pela mãe. Não é um amor essa árvore com coruja?



Olha aí a feliz dona do quarto brincando com as letrinhas:

 
E com o joguinho de chá que dei para ela de natal:
 
 

E você? Conhece algum quarto de bebê que foge do padrão?

20 de dezembro de 2012

Lembrancinha de natal

Natal chegando e presentinhos sendo distribuídos. Para ser sincera, eu não pensei muito neles. Não fiz quase nada à mão. Acho que me dei conta tarde demais que o natal estava aí e não dava mais tempo de inventar muita coisa.

Eu tenho uma grande amiga, a Laís. Ela não ganharia presente comprado. Nada de brinquinho, ou coisas do tipo. Eu até gosto, e presenteei brinco a algumas pessoas, mas como a Laís é uma amiga original, ela merecia uma lembrança mais de acordo.

Meses atrás achei um stencil de sapatilha numa papelaria. Comprei e guardei. Sabia que seria muito oportuno num momento. A Laís faz balé. Stencil de sapatilha + balé... hum... era ou não era a cara da minha amiguinha?



Aí está a lembrancinha que dei para ela.
Para fazer é bem simples, não tem mistério. Comprei um porta-retrato para servir de moldura, esse aí mede 15 X 21.
Para pintar, usei o papel paraná, que era o que estava dando sopa aqui em casa e cortei na dimensão da moldura. Calculei o meio, pintei com stencil, e depois fui pintando em volta com a mãe livre para dar um toque de fofurice. A tinta usada foi a acrílica, mas acredito que aquarela e guache também funcionem.

Pronto! É simples, né? E você pode fazer o que a sua imaginação mandar. Pode procurar outras formas de stencil, ou mesmo pintar à mão livre. E dá para fazer mole mole uma versão masculina se o seu presenteado for homem.
Dá para usar apoiado como porta-retrato, ou arrancar o apoio e colocar na parede com ajuda do velcro adesivo que permite pendurar quadros sem furos.

Me bateu aquela dúvida se a Laís ia gostar. Mas quando ela abriu o embrulho, a expressão do rosto dela foi impagável! Depois dessa, fiquei tão feliz comigo mesma de ter apostado em algo feito por mim, com muito amor!



16 de dezembro de 2012

Desafio decor # 3: Decoração de fim de ano

Lembram do desafio das blogueiras? Aquele segundo que e participei com uma tábua de corte transformada num mestre cuca? Então, não ganhei, fiquei bem longe disso. Mas foi tão gratificante ter participado! Nada melhor do que ler o comentário de um leitor que diz que conheceu o blog através do desafio. Adorei! Tanto que disse para mim mesma que repetiria a dose tantas vezes quantas fossem possíveis.

E agora, as meninas do Clube Decor lançaram o terceiro desafio. E diferente do segundo, este terá quatro ganhadores e o prêmio será surpresa.

O tema é meio óbvio, mas estamos no fim do ano, porque não aproveitar para deixar o nosso lar com clima de festa?
Entre o natal e o ano novo, fiquei com a primeira. É uma festa que me atrai mais, tem um clima mais familiar, de aconchego.

A minha sugestão é apostar na vela. Porque vela tem o poder de trazer aconchego, vocês não acham?


À noite.

 
Para fazer esse mimo, você vai precisar de:


- Potinho de vidro (eu usei um de geléia)
- Papel celofane verde
- Fita dourada
- Coraçõezinhos
- Vela LED vermelha
- Cola quente
- Tesoura


Recorde um pouco do celofane e vá colocando dentro do potinho, lembrando de deixar um buraco no meio para encaixar a vela.

Vista de cima


Efeito no vidro

Encaixe a vela no buraco que você deixou. Está certo que uma vela de verdade seria mais interessante, mas fogo e papel definitivamente não combinam. E eu não estou lá muito disposta a ver se a minha casa é uma fênix. Pago para ver, não. Segurança, a gente se vê por aqui.


Depois de colocada a vela, coloquei um pouco mais de celofane em volta, para preencher bem, evitar vazios no potinho e ficar com um efeito mais bacana.
A fita é para colocar no encaixe da antiga tampa do potinho e fazer um laço. Para que ela não se solte, use a cola quente. Eu colei em quatro pontos da circunferência e também na hora de arrematar o lacinho. E os corações, eu colei em dois lados do potinho.

Coloquei o meu novo mimo de natal no canto de leitura. Vai a foto do cantinho, que nunca mostrei por aqui.  Ele agora faz companhia para o árvore de natal de rolinhos de papel higiênico que eu ensinei a fazer aqui e para o papai noel que ganhei no amigo oculto do teatro.


Durante o dia, com a vela apagada.
Quando a noite cai, o efeito é esse:


Se bobear, dá para deixar o mimo enfeitando a casa o resto do ano. É só mudar a carinha dele e tirar esse ar de natal.


Os blogs do Clube Decor que lançaram o desafio são esses aí embaixo. Clicando nos nomes, você vê o que cada um produziu.  Vale muito a pena ver, sério, tem cada coisa mais linda que a outra!

Arrumadíssimo - Casa com Decoração - Casa de Firulas - Casa de Valentina - Casa Montada - Dcoracao.com - Decoracasas - Decorviva - O móvel - Sou mais minha casa


13 de dezembro de 2012

Projetinhos de 5 minutos: reaproveitamento de embalagens de vidro

Está com preguiça de colocar a mão na massa para deixar sua casa mais bonita? Está aí resmungando que não tem nem 1 real para gastar?

Pode parar, que hoje não tem desculpa esfarrapada!

Está se tempo e com preguiça? Leva só 5 minutos, gente! Talvez nem isso! Está sem dinheiro? É grátis!

Dá só uma olhadinha nessas imagens:


À esquerda temos uma garrafa que um dia armazenou licor de chocolate. À direita, o primeiro potinho de Nescafé que comprei. As embalagens foram de graça, porque ambas se tratam de reaproveitamento.
E os enfeitezinhos foram feitos com sobras. Os tecidos de poás são retalhos das almofadinhas do meu quarto. E o lacinho e os coraçõezinhos são sobras do material da árvore de natal.

Não tem foto do antes e depois, porque são projetinhos tão rápidos que nem deu tempo de pensar em tirar foto. Mas posso te contar como eu fiz.
A garrafa foi feita de uma forma mais amadora. Simplesmente enrolei um pedaço de tecido e dei um nó. Para o nó não ficar suspenso, prendi a parte solta do tecido no vidro com fita dupla face. Achei que não ia dar certo, mas fiz isso em setembro e até hoje não soltou.
O potinho é mais recente, e eu já estava mais bem equipada de material. Enrolei o tecido com cola quente, formando uma espécie de canudo. Depois, enrolei na embalagem, fazendo um cruzamento, e usei a cola quente entre o tecido e o vidro (apenas no referido cruzamento) e no "encontro" das pontas do tecido. Para arrematar e dar um toque a mais, o lacinho e os corações entraram em cena e também foram colados com a cola quente.

A garrafa foi para o rack, fazer companhia para minha coleção de dvds e para o Pense Bem.

Está assim, sem nada. Mas considero a possibilidade de colocar umas pedrinhas aí dentro.

E o potinho, com duas rosas que desidratei, fica na prateleirinha na lateral do rack, próximo ao cantinho de leitura.



E aí? Consegui te convencer a perder 5 minutinhos do seu tempo para embelezar o seu cantinho? Diz que sim, vai. Diz que sim!

6 de dezembro de 2012

Pseudo-buffet

Lembram-se de que depois da minha apresentação, na primeira postagem do blog, contei a história do rack? Se você é novo aqui e não sabe do que eu estou falando, clique aqui.
Na ocasião, eu contei que nenhuma parte do rack antigo tinha ido para o lixo e mostrei esta imagem:


O capítulo chegou!!!

A ideia era transformar essa parte num buffet para a sala de jantar. Como tirar a ideia do campo da imaginação?

O primeiro passo foi pedir para o marceneiro fazer os pés. Eu pedi pé palito e ele me apresentou os torneados. Nem reclamei. Ele teve mais trabalho para fazer esses pés e senti que foram feitos com carinho. Desconfio que talvez ele não soubesse o que é pé palito. Ficaram bem bonitinhos e resolvi ficar feliz com esses mesmo.
Mas porque o pé? Para tirar a cara de mobiliário planejado que esse móvel tinha. Queria que ficasse com aspecto de móvel solto, sabe?

A segunda etapa foi corrigir as imperfeições oriundas da transformação. Ele tinha ficado com uns furinhos na lateral, onde ficava preso à parte que continuou sendo rack. Como tirei os puxadores originais, que exigiam dois furos, para colocar um redondinho, ficou com um furinho a mais. Resolvi com massa para madeira. Passei com a espátula, esperei secar e depois lixei para uniformizar a superfície.
Existem massas de diferentes tons de madeira. Mas eu já tinha uma que comprei quando reformei a mesinha amarela, foi essa que usei, mesmo sendo num tom tão diferente. Não tive problemas no resultado final.

A terceira etapa foi cobrir de fita crepe as partes que a tinta não deveria pegar, sobretudo, os pés!


Quarta etapa: pintura! Para fazer uma coisinha muito bem feitinha, bonitinha, siga as instruções da Thalita, do Casa de Colorir, aqui.
Como esse móvel ia ficar em ambiente interno, optei por usar tinta à base de água, que facilita na limpeza da sujeira depois (inclusive minha mão).
As minhas salas - de estar e jantar, integradas - seguem a paleta das cores primárias (amarelo, vermelho e azul) e das escalas de luz (branco, preto e cinza). Como duas paredes do jantar e o sofá são cinzas, a mesinha lateral é amarela, os puffs são vermelhos, decidi que o buffet seria azul. A cor escolhida foi o Céu de Brigadeiro, da Coral.
Uma pequena observação: siga as instruções da lata de tinta. Algumas mandam esperar 20 dias para apoiar algo em cima. É melhor respeitar o prazo!

Quinta e última etapa: colocar os puxadores.
Na minha humilde opinião, um ambiente decorado com cores primárias tende a ser frio. Então, para quebrar a frieza, senti necessidade de trazer pontos de romantismo para minha sala. Por isso, escolhi um puxador fru fru de florzinha.


Era para ser um buffet e está em local de destaque na sala de jantar. Mas acabou que no final das contas, ele não guarda minhas louças coisa nenhuma. Abriga meu material de casa e artesanato: pistola de cola quente, tecidos, potes e vidros a serem reciclados, lixas, contact, revistas de decoração... E em cima, abriga objetos que me identificam: câmera dos anos 80 usada para filmar minha infância, máscara do teatro, livros de arte e uma tela minha.


Está vendo o sapo ali ao lado? Ganhei de uma tia quando me mudei. Não é um amor?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...