Personare Ads

30 de outubro de 2014

O blog fora do blog: Personare, Mobly e 15sideas

Acho que posso dizer que o Casa de Amados é meu filho, meu xodó. Ele me proporcionou coisas incríveis, que preenchem meu coração de alegria. Com ele, descobri novos caminhos, novas perspectivas. De tanto pesquisar, procurar imagens, descobri muitas coisas inspiradoras e aprendi muito.
Das coisas incríveis que o blog me proporcionou, além das descobertas, posso citar o carinho de vocês. Podem estar certos que isso sempre será um estímulo para mim! Adoro quando recebo e-mails fofos! Não há nada no mundo que pague isso!
Não sei se vocês já repararam, mas recentemente o blog andou fazendo uns passeios por outros sites. Fiz algumas parcerias, e gostaria de contar para vocês sobre cada uma delas.


PERSONARE

O Portal Personare aborda conteúdos voltados para o auto conhecimento e qualidade de vida. São várias categorias, incluindo casa. Eles têm seus próprios autores e ainda contam com sites/ blogs parceiros. O Casa de Amados é um blog parceiro, então, de vez em quando alguma postagem daqui é indicada no site. Mas sempre vale a pena vocês darem uma espiada lá, os outros parceiros, bem como os autores têm textos bem interessantes. Essa semana, por exemplo, citaram o post "Como transformar cúpula em luminária", do Um lar para Amar.





MOBLY

A loja de e-commerce Mobly, criou um blog próprio. E lá, eu atuo como colunista, escrevendo sobre dicas de decoração. De vez em quando, vocês verão um texto meu por lá. Esses posts não serão reproduzidos aqui, mas vocês podem ficar tranquilos que toda vez que um texto meu for ao ar, avisarei nas redes sociais do blog, sobretudo no facebook e twitter.
O primeiro post foi sobre 6 formas de usar aparador, e você pode ver aqui.




15IDEAS

 O 15ideas não é um site. É um perfil no instagram, com tutoriais em formato de vídeos de 15 segundos. Tem de tudo. Receita, customização de roupa, acessórios, penteados, artigos de decoração.  Foi criado pela Sheylla Gonçalves, a primeira amizade que eu fiz quando entrei para o universo do teatro, na adolescência.
Ela me chamou para fazer participações no perfil. Aceitei o desafio. Sim, desafio, porque a proposta é bem diferente dos vídeos que faço para o youtube, né? Mas eu amei, o primeiro tutorial foi publicado na terça, e tem o Halloween como tema.
Também avisarei nas redes sociais quando algum tutorial for publicado. Mas você não precisa esperar que eu avise, vale a pena seguir o perfil e ver todos os DIYs!
Para quem tem instagram, o perfil é @15ideas
Para quem não tem, dá para dar uma espiada aqui.


Espero que tenham gostado das parcerias. Sou grata a vocês, porque, obviamente, sem vocês nada disso estaria acontecendo. Obrigada por colocarem mais amor e desafios na minha vida!

28 de outubro de 2014

Inspiração: mesas de centro


 Aqui em casa não tem mesa de centro. Em parte, porque gosto de ter um pedaço de chão para fazer peraltice. Em parte, porque o espaço que ela ficaria dá acesso à varanda e ao cantinho de leitura. Mas isso não quer dizer que às vezes não sinta falta de uma, que eu não possa namorar as imagens que eu vejo por aí!
Mas vai que na sua casa você tem espaço ou necessidade de ter uma mesa de centro, afinal todos nós temos necessidades diferentes, né? Então, catei algumas imagens/ ideias inspiradoras.


1) REAPROVEITAMENTO/ FAÇA-VOCÊ-MESMO

São opções baratas, sustentáveis, e você ainda pode personalizar, deixando o móvel mais com a sua cara!


A primeira sala, a da mesa de revistas enroladas é do Edu, que foi mostrada no site Casa Aberta. O passo a passo está aqui.


2) COMPRADA PRONTA

Se você gostou, se identificou com algum modelo, porque não? Vale olhar em lojas de móveis - hoje em dia já existem opções de qualidade acessíveis, como em brechós e sites de revenda tipo OLX, Bom Negócio e afins.



3) DESFIO DE FUNÇÃO

Que tal pegar aquilo que originalmente serve para outras coisas e usar como mesa de centro? A minha opção favorita é o baú. Quando eu era criança, tinha uma amiga, cuja casa tinha um baú escuro, bem no estilo pirata, no meio da sala. E eu sempre achei aquilo o máximo!




As imagens são todas do Pinterest, e você pode ver mais inspirações aqui.

Na sua casa tem mesa de centro? Como é a sua? Conta pra gente aqui nos comentários?


23 de outubro de 2014

Canais do Youtube que me inspiram: Maddu Magalhães


Vocês já devem estar carecas de saber que eu amo Youtube e que estou adorando mostrar para vocês os canais que me inspiram. Porque todos eles provam o que sempre digo: é possível decorar casa com pouco dinheiro e muito amor e boa vontade! ;)

O canal de hoje é da atriz e artista plástica Maddu Magalhães. É um canal interessante, praticamente só de DIY, e pouquíssimos vlogs. Tem algumas receitas fáceis (o que é bom para pessoas não muito amigas da cozinha, tipo eu), muitos DIYs de decoração e objetos com temática geek. Para quem adora Harry Potter e Star Wars, por exemplo, lá é o paraíso. Algum fã de Friends por aqui? Maddu já ensinou a fazer a moldura amarela da porta da Monica!

Selecionei 4 de decoração para vocês terem uma ideia, mas vale a pena ir lá no canal, porque tem MUITO vídeo bacana!






Eis o que eu fiz inspirada na Maddu! No vídeo, ela usa tecido. Eu usei folhas de livro velho. Por acaso é um atlas escrito em alemão que ganhei de um camelô. Eu adoro essa história. Cheguei pro vendedor:

- Você tem um livro velho, caindo aos pedaços, que ninguém quer e que seja bem baratinho?
- Tenho esse aqui.
- Quanto custa?
- É presente! 

Acredito que por ser um atlas bem antigo, deve estar desatualizado; as folhas estão todas bem frágeis, e ainda por cima, está tudo em alemão! Devia estar difícil pra caramba de vender! O que foi uma sorte pra mim! Não só porque acabei ganhando de presente, mas porque amei ter alguns mapas no meio de um monte de letrinhas e também porque a cor das folhas estava linda! Voltei pra casa sorrindo no meio da rua, só faltou dar uns pulinhos em público! rs.

Quem me segue no instagram, deve ter visto essa foto, pouco depois do episódio que acabei de narrar.


Voltando ao que interessa: usei uma técnica que aprendi no ScrapBi. A Gabi, quando faz art journal, passa gesso por cima do livro e faz a arte em cima. Então, eu passei gesso por toda a caixa de sapato, para ficar tudo com fundo branco. E depois, fui colando as folhas. No final, passei verniz para impermeabilizar, o que acabou dando um aspecto ainda mais envelhecido à folha e eu amei isso!

Ó como ficou:


Esse organizador faz parte do projeto do meu novo home office. As coisas vão acontecendo aos poucos, mas vão acontecendo! =)

OBS: Reparou no Equilibrista Maluco, feito para o DIY Coletivo de outubro?  =P


"Ah, mas eu não tenho caixa de sapato sobrando..." Arrume! Eu também não tinha; roubei tudo da sobrinha de 12 anos. Sim, deixei os tênis dela sem teto! rs.


E aí, você já conhecia a Maddu? Qual dos vídeos dela é o seu preferido?

21 de outubro de 2014

Como repaginar cabeceira com renda, sianinha ou bordado



Casa tem que ter personalidade, a cara do dono. É por isso que eu tenho pavor de decorações com cara de casa de catálogo, que não tem a cara de ninguém.  Talvez seja por esse motivo que eu sempre tive problemas de relacionamento com a minha cabeceira. Achava que ela tinha cara de catálogo e não combinava comigo, mas como não sabia exatamente o que eu queria (bem, o que eu queria mesmo era uma chippandalle ou uma de ferro, mas isso não seria tão viável aqui), fui empurrando com a barriga.
Até que tive a ideia de reformar a cabeceira usando rendas a metro, sabe? Mas quando fui comprar, encontrei um bordado - para mim soa estranho chamar assim, mas na embalagem e no site da fábrica diz que é bordado - de coração e fiquei apaixonada. Ultimamente eu tenho amado corações. Resolvi que combina com o meu sobrenome e o nome do blog. Desisti da renda e fiquei com o bordado de coração.

Expectativa: bordado + fita dupla face = cabeceira nova!
Realidade: blogueira frustrada porque deu TUDO errado! rsrsrs. Sério, já usei essa técnica para outras coisas e sempre deu certo, mas na cabeceira não rolou. 

Na ocasião, guardei os bordados, e dei um pequeno up com papel adesivo na edição do DIY Coletivo de agosto. (Não sabe do que estou falando? Clique aqui)

ANTES:


Mas eu sou brasileira e não desisto nunca. Ainda queria uma cabeceira com uma pegada mais artesanal. Daí, vi na revista Decorar Mais por Menos, uma cabeceira com capa de tricô. Uma capa de tricô na minha não rolaria, porque é embutida, mas um vinil com estampa de tricô ou renda talvez rolasse. Fiz orçamento numa gráfica. 800 reais. Por esse preço, seria mais interessante arrancar tudo e comprar uma chippandalle. Sem condições.
Resolvi voltar para a ideia inicial e tentar uma nova técnica: cola quente + cola branca. E não é que deu certo?

PASSO A PASSO:

Não tem muito mistério. Usei a cola quente nas pontas, para dar uma segurada, porque a cabeceira é extensa, e a cola branca ficaria escorregando durante o processo. Usei a cola branca sem diluir para colar, e o mesmo se aplica ao final, para impermeabilizar. Para dar um melhor acabamento, fiz uma bordinha com o próprio bordado nas laterais.

É bem fácil de fazer, só é cansativo. Mas se você fizer com um bordado mais largo, terminará mais rápido. Fiquei exausta, mas acho que valeu muito a pena. Fiquei tão feliz com o resultado final!




DEPOIS:



De perto. Não ficou a minha cara?



Ainda está faltando as luzinhas que encomendei na Toda Coisinha, mas já tá valendo, já tô apaixonada!


Para quem gostou do efeito, mas não tem cabeceira embutida, dá para comprar uma chapa de compensado ou MDF e fazer a mesma coisa!

Se tiver alguma dúvida, é só perguntar nos comentários!

20 de outubro de 2014

8 dicas de como guardar e usar livros na decoração




Acho que já comentei aqui que estou querendo fazer uma modificação no meu home office, pelo fato dele não estar funcional para mim. E o principal "culpado" disso são os livros. Tenho muitos, e sempre terei muitos, já que é um objeto que posso comprar um monte sem peso algum na consciência.
Na casa da minha mãe, eu tinha um lugar ótimo para eles, mas quando me mudei, peguei um apê cheio de móvel planejado, o que me impediu de ter uma estante, como sempre sonhei. A princípio, me contentei em trazer alguns poucos livros, deixando a maioria na casa da minha mãe, e ir revezando. Funcionou com os de literatura. Mas com os de estudo, não estava dando certo. Preciso deles perto, para consultar sempre que necessário. Ainda mais agora, que estou na vibe de comprar livros de decor. Eles estão empilhados em cima da escrivaninha, porque não tenho onde guardar. Tenho um armário suspenso enorme acima dela, mas ele tem umas divisões que não funcionam para mim.
Vou trocar por prateleiras, já comecei a sondar como farei isso, orçamento, essas coisas. Quando estiver pronto, voltarei para mostrar pra vocês, obviamente.

Mas enquanto isso não acontece, trouxe algumas inspirações de onde guardar livros e como usá-los na decoração.

Mas antes, só uma observação: na verdade meeeeeeeeeeeeeeesmo, o ideal seria deixá-los longe da claridade e da poeira, assim eles duram bem mais. Mas sabemos que na grande maioria das vezes isso não é possível, e também, raramente temos intenção de fazer o livro atravessar várias gerações. Então, vamos em frente!

1) PRATELEIRA ACIMA DA ESCRIVANINHA

É uma solução óbvia, mas que quebra um galhão! Primeiro, porque se aproveita uma parede "perdida", segundo, porque os livros ficam ao seu alcance quando você está trabalhando ou estudando.




2)  PARA QUEM TEM PAREDE "SOBRANDO", ESTANTE OU NICHOS

Tem gente que tem esse privilégio, né? E ó, nem precisa ter uma metragem generosa, não. Conheço gente que mora ou morou num apê de 30m² e tinha estante. Acho que tem mais a ver com a planta e com o planejamento do espaço.
Se você é um desses privilegiados, pode comprar uma estante pronta, mandar fazer, comprar nichos e montá-lo como bem desejar, ou ainda, recorrer ao bom e velho caixote de feira, que cumpre bem a função.




3) ATRÁS DO SOFÁ

Confesso que essa ideia não me atrai tanto assim. Visualmente, acho lindo e aconchegante, mas quando eu sento no sofá, eu me jogo mesmo. Dentro da minha casa, não sou daquelas madames comportadas, que sentam no sofá de perninha cruzada. Gosto de me jogar, deitar, jogar almofada "pro alto", até ficar bem confortável. E ainda sou estabanada.Então, acho que não funcionaria muito comigo.
Mas se o seu sofá não é tão usado ou se você consegue ser mais comportado do que eu, porque não?



4) CESTOS

Claro que só funciona para livros leves, mas achei essa ideia TÃO fofa! Para uma criança, pode ser bem funcional. Para um adulto pode ser decorativa... basta pegar uns 2 livros de uma temática que chame a sua atenção - pode ser fotografia, arte, moda, esporte - e exibi-los numa parede de destaque. 



5) PERMITA QUE AS CRIANÇAS ALCANCEM OS LIVROS

Se você tem crianças em casa, e quer estimular o gosto delas pela leitura, coloque os livros ao alcance dos pequenos, por favor! Pode apostar que depender sempre de alguém para pegar algum livro não será nada estimulante.

Adorei a ideia da casinha que é uma estante ao mesmo tempo. Dá para guardar livros e brincar de boneca ao mesmo tempo, muito amor! Queria ter tido isso quando criança!




6) EMPILHE!

Não é para fazer uma pilha infinita, porque isso não funciona, e sempre que você quiser pegar um livro que está no meio, você abrirá um sorrisão (só que não!). Mas se você não tem espaço e tem uma parede que não pode se dar ao luxo de desperdiçar, faça ou mande fazer um móvel estreito e comprido, com prateleiras que te permita fazer várias pilhas pequenas.





7) APROVEITE O ESPAÇO EMBAIXO DA CAMA

Não gosto dessa ideia, confesso. Acho lindo, mas sempre que eu puder evitar livros tão próximos ao chão, evitarei. Mas como nem sempre a gente pode se dar ao luxo de evitar tudo que gostaríamos, entre ter livros praticamente no chão e não tê-los, fico com a primeira opção.



8) TIRE PROVEITO DE  MÓVEIS COMO CRIADO-MUDO, APARADOR, BANCO

Se você tem livro de mais e espaço de menos, a solução é apelar! Para os móveis, que a rigor, servem para outras coisas, mas que podem fazer a caridade de acolher os benditos!





Você também tem muitos livros? Como guarda os seus? Ficam dentro do armário ou fazem uma graça na decor?


As imagens são todas do Pinterest, e fiz um mural com mais inspirações, aqui.

17 de outubro de 2014

A arte na minha vida e algumas dicas: acrílica, aquarela e pastel oleoso


Tanto quem me conhece, como quem acompanha o blog sabe: não sei viver sem arte. Nunca soube. Daí recentemente, uma leitora me mandou e-mail sugerindo que eu falasse um pouco sobre a arte na minha vida, e se fosse possível, dar umas dicas, já que ela estava começando a pintar. Sim, Thamyrez, esse post é para você! Mas se você não é a Thamyrez, mas é chegadinho num pincel, pode juntar-se a nós e trocar umas figurinhas! rs

A arte não entrou para a minha vida, ela nasceu comigo. Digo isso porque não fui muito incentivada pelos meus pais: não era dessas crianças que viviam em museu, que iam ao teatro, que tinham uma coleção de VHS dentro de casa. Para não dizer que não recebia estímulo artístico algum, eu sempre ganhei muitos livros. Mas eu sou uma Amado, e há muitos artistas nessa família, embora eu não tenha convivido com nenhum deles. Mas está nos meus genes. E manifestei cedo o meu amor pela arte. Comecei interpretando. Tem vídeo meu com 3 anos, com um pano na cabeça (pra fingir que tinha cabelão), interpretando, numa cena com algum personagem invisível. haha. Na adolescência, fui estudar vídeo e teatro. 
Aos 11 anos, comecei a escrever. A princípio poemas (todos bem toscos), e depois contos e crônicas. Aos 13, comecei a devorar tudo quanto era livro que via pela frente, hábito que tenho até hoje, embora tenha reduzido um pouco o ritmo, com o trabalho e o blog. Cheguei a ter um blog literário, antes desse, onde vez ou outra publico uns textos meus. 
 As artes visuais entraram na minha vida na época da faculdade. Sou museóloga e como tal, tive que fazer 8 disciplinas de história da arte. Impossível não me envolver. Depois de tanto tempo envolvida com a teoria, comprando livros, me apaixonando por certos artistas, num certo carnaval, resolvi comprar 2 tubos de tinta para brincar. E gostei da brincadeira. Comprei mais tintas e fui estudar na EAV (Escola de Artes Visuais do Parque Lage).
Também na faculdade, desenvolvi uma relação de amor com a fotografia, e me pós graduei nisso. Amo, mas não trabalho com isso, porque fotografia para mim é um meio de expressão artística. Não faria um casamento, por exemplo. No máximo participo de exposições (participei de 2) e vendo algumas fotos. 



Esse é um resumão da arte na minha vida. Não sou uma pessoa muito indicada para dar dicas de pintura, já que eu não sou uma grande artista, não sou professora, e ainda estou aprendendo. Mas posso tentar passar para vocês o que já aprendi. O meu objetivo aqui, é ajudar vocês a brincarem com as tintas, descobrirem o prazer de pintar, fazer seus próprios quadros, encher suas paredes de amor. Mas se quiser fazer ARTE mesmo, pro mercado e pra história, recomendo estudar a fundo, porque como diria um professor meu da EAV :"arte é coisa de adulto e de quem entende de arte".
Hoje vou falar um pouco dos três materiais que mais uso, depois falo das técnicas, para este post não ficar muito grande.


1) ACRÍLICA


Foi com ela que comecei a pintar no carnaval. É uma tinta barata, à base de água. Para quem está começando a pintar, recomendo usar tinta barata, porque você se sente mais à vontade para experimentar coisas novas, sem aquele sentimento de culpa, de cada pincelada custar os olhos da cara. 
Gosto muito das tintas à base de água, que são menos tóxicas, facilitam na hora de limpar, não precisam de solvente. Quando eu fazia curso de gravura, usávamos tinta a óleo. Sujei a minha mão e não conseguia tirar a tinta de jeito nenhum! Enviei meu dedo no aguarrás (não façam isso, jamais!), e a bendita só foi sair umas 2 semanas depois.
Ela é interessante, pois dependendo da quantidade de água, ela pode ter um efeito mais aquarelado ou "plastificado". Falarei mais sobre isso em outro post.
Funciona muito bem tanto em papel de maior gramatura (nada de usar aqueles da sua impressora, pelo amor!) quanto em canvas.


2) AQUARELA


De todos os matearias que estou mostrando aqui hoje, é o que tenho mais dificuldade. Talvez por isso mesmo, são essas tintas que tenho usado mais nos últimos tempos. Quem me segue no instagram (@casadeamados) deve ter visto minhas últimas pinturas.
Existem aquarelas caras, mas como eu estou aprendendo, é óbvio que uso as mais baratas. A da esquerda é de criança, tem o desenho da Pucca na tampa, rs! Mas quem liga? Depois, resolvi comprar aquarela líquida, a do tubinho, e ver se tinha diferença. Por enquanto, estou tendo mais facilidade de usar a tradicional, mas não vejo muita diferença no resultado final.
Por ser uma tinta à base de água, não faz muita sujeira e é fácil de limpar.
É mais indicada para papel de alta gramatura, mas eu já testei em canvas e deu certo! Então, se quiser experimentar em superfícies diferentes, vá fundo!


3) PASTEL OLEOSO


Como vocês podem ver, comprei uma caixa pequena para experimentar, ela está quase acabando e comprei uma nova, maior.
Olhando assim, o pastel oleoso lembra um pouco o giz de cera, e dependendo de como você usar, o efeito pode ficar bem parecido. Mas por ser oleoso, se forçar, dá para conseguir uma textura mais uniforme, que de longe, parece pintura. 
Assim como os dois materiais acima, o pastel oleoso não é caro. Então é super tranquilo comprar para testar, sem doer no bolso.
Ah, e como você pinta sem auxílio do pincel, a sua mão fica imunda. Mas sai bem fácil com água e um pouquinho de sabonete.
Geralmente indicado para papel. Quanto maior a gramatura, melhor será, mas nesse caso rola pegar o da impressora para brincar e ver no que dá. Nunca testei em canvas. 


Mais alguém aqui gosta de brincar de pintar? Que materiais vocês usam? Penduram suas pinturas na parede com orgulho?


Em breve volto com a parte 2!

15 de outubro de 2014

Exemplo de antes e depois: 4 dicas para valorizar o banheiro



Como vocês estão carecas de saber, eu gosto muito do Apartment Therapy. Porque assim como o Casa Chaucha, sempre encontro dicas bacanas e acessíveis para nossas casas. Adoro os antes e depois que são aplicáveis a imóveis alugados, porque se serve para quem mora de aluguel, serve para qualquer um!

Dessa vez, eu trouxe um banheiro pra esse espaço. É um cômodo que a gente fala pouco por aqui, né?

Bem, eu acho que esse é um imóvel próprio, já que mudaram a bancada e a torneira; e diferentemente da maioria dos banheiros brasileiros, a parede não é de azulejos, o que facilita na hora de mudar a cor. Então, relevei esses detalhes. Podem até fazer diferença, mas o meu objetivo com este post é discutir uma decoração acessível a TODOS.

Vamos lá?




1) Invista numa moldura para o espelho:

Uma moldura bacana no espelho é capaz de levantar qualquer ambiente. No caso, a madeira costuma trazer um toque de calor a um cômodo que costuma ser frio.

2) Não tenha medo da tinta:

Reparou que a luminária é a mesma, e que ela apenas recebeu tinta preta? Antes, ela sumia na parede que era praticamente da mesma cor. O contraste valorizou o objeto. Certifique-se apenas de que a tinta aguenta ambientes úmidos.

3) Aposte nos objetos organizadores:

O nicho e o cesto, além de darem uma mãozinha na organização, ajudaram a fazer uma graça, tirando a impressão de ambiente inacabado que as paredes vazias davam.

4) Apele aos quadros:

Porque sim, banheiro também é lugar de quadros. Tem pouca verba? Molduras do 1,99 podem te ajudar! O que você vai colocar dentro vai depender da sua criatividade: podem ser pôsters, postais, frases impressas, o desenho do seu filho, um pedaço de tecido.


Encontrou mais alguma dica que eu não mencionei? Já aplicou alguma delas na sua casa? Aqui em casa eu apelei aos quadros.


Imagens e post original, aqui

14 de outubro de 2014

Tour pelo apê

Demorô, mais saiu!!! Finalmente, o tour pelo apê já está no ar!

Ao contrário da maioria dos vídeos de tour, esse é bem curto, tem um pouco mais de 5 minutos, e eu não fico dando muitas explicações. Isso se dá pelo fato de que eu prefiro vídeos não muito longos no Youtube, gosto de ser o mais dinâmica possível. Mas vocês podem ficar à vontade para perguntar coisas sobre o apê, sobre algum cômodo, móvel, objeto de decoração.

Sejam bem vindos à minha casa! Agora é só dar o play!




Espero que tenham gostado! 

9 de outubro de 2014

Projetinhos de 5 minutos: 3 formas de usar bola de gude na decoração

Quando chegou o momento de catar material para o DIY Coletivo de outubro, cujo tema foi decoração usando brinquedo, fui dar um rolé numa loja de 1,99 em busca de inspiração. Acabei escolhendo o equilibrista maluco para o projeto, mas no mesmo dia, comprei um pacote de bolas de gude e um dominó, porque estava beeeem barato e eu precisava de algo para um plano B. Sim, em casa de blogueira, às vezes os projetos dão errado também! Necessitava me garantir, né?

Mas não é porque o plano A deu certo, que eu não posso mostrar o plano B. Tem várias formas de usar bolas de gude na decoração. E o melhor é que nada precisa de tinta, cola e afins, e tudo leva menos, bem menos de 5 minutos!


1) Apenas as bolas, como um enfeite.

Bolas de gude por si só, são bonitas. Então, que tal colocá-las num copo e fazer um charme na estante, na mesa de centro, ou na mesa lateral, sobre um livro?



2) Composição com palito aromático

Eu particularmente adoro uma coisinha cheirosinha. Acho que cheiros envolvem, podem trazer certas lembranças e sensações.
Para fazer essa composição, basta colocar as bolas numa garrafa de boca mais larga e enfiar uns palitos aromáticos.
Esse enfeite eu acho legal colocar perto de assentos, que é para você ou o visitante se deliciarem com o cheirinho! ;)





3) Para sustentar pincel de maquiagem

A ideia é basicamente a mesma que a primeira. A diferença é que ao invés de ser apenas um enfeite, aqui, as bolas assumem um papel mais funcional - o de sustentar seus pincéis de maquiagem.




As crianças chegaram? Da mesma forma que você montou o projeto em menos de 5 minutos, desmonte-o em outros menos de 5 minutos, e brinque com os pequenos à moda antiga. As crianças foram embora? Monte o seu enfeite de novo! Simples e prático!

Ah, o custo desses três projetos foi o preço da bola de gude, R$ 3,00. E só. Tanto o copo como a garrafa são reaproveitamento de embalagens de supermercado.

E aí, qual dos três vocês mais gostaram???

7 de outubro de 2014

Uma casa, 5 dicas.




Quem me acompanha há algum tempo, sabe que eu adoro o blog argentino Casa Chaucha. É um blog que mostra a casa dos outros, a casa de pessoas por aí, tipo eu e você. Pessoas que gostam de deixar suas casas com suas caras, sem desembolsar uma grana preta para isso. E o resultado são decorações únicas, personalizadas. Muitas vezes, as casas são tão simples, e é justamente nessa simplicidade que mora a beleza da decor. Em uma frase, o Casa Chaucha sempre prova que decoração está ao alcance de todos.
Foi por isso que escolhi uma das inúmeras casas que já passaram por lá, para que a gente possa discutir as dicas que podemos tirar dessa decoração. Observe as imagens com calma, atenção, e vamos conversando.


1) Inove na pintura

Para dividir a cozinha/ sala de jantar da sala de estar, pinte a parede para demarcar, mas que tal pintar na diagonal? É uma maneira barata de sair do lugar comum e causar impacto.

2) Não tem mesa lateral? Apele ao caixote de feira.

Há quem diga que é modismo de decoração, mas e daí? Caixotes são baratos, são versáteis. E podem quebrar o galho e fazer bonito quando você não tem uma mesa lateral.






 3) Muito livro e pouco espaço? Ao invés de uma estante convencional, opte por nichos e/ou prateleiras.

Acho que todo mundo já ouviu: "se não tiver espaço, suba pelas paredes". Nichos permitem que você faça exatamente isso, já que não precisam ficar apoiados no chão. E dependendo do caso, você ainda poderá montá-los do jeito que quiser, encontrar a composição que mais te agrade.



4) Tinta e cortina para separar ambientes

O espaço de dormir e o home office ficam no mesmo cômodo? Além da pintura, que tal separar os ambientes com uma cortininha? É inusitado e interessante, até porque eu acho importante separar um pouco o canto de trabalho com o de dormir (embora aqui em casa seja tudo junto e misturado).




5) Se quiser se jogar numa cor forte, busque um contraste interessante, que te agrade.

Azul turquesa e vermelho costumam fazer uma dobradinha interessante (tenho uma amiga que é viciada nessa combinação, rs). Você é livre para escolher as cores que quiser, mas se cores fortes forem a sua pegada, lembre-se de que o contraste irá destacar as suas escolhas.




Quais as dicas que você encontrou? Achou mais alguma que eu não mencionei?





 Fotos e post original, no Casa Chaucha, aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...