Personare Ads

30 de março de 2015

Criança, brincava de casinha. Adulta, brinca de casa de gente grande.



Eu fui uma criança que brincou muito de Barbie e de casinha. Adorava decorar a casa da Barbie, e também a minha "própria" casinha. No sítio, no interior do Rio, onde passávamos as férias e os fins de semana, quando eu não estava lá fora dando milho pras galinhas, subindo em árvores ou brincando com as crianças do sítio vizinho, e a vovó não estava lá, eu transformava o quarto dela na minha casa. Transformava uma porta do armário em geladeira, as outras partes eram guarda roupa mesmo. Catava objetos dos meus pais pela casa, juntava com alguns dos meus brinquedos, e decorava a minha casinha. Lembro até hoje de ter transformado uma bandeja em criado mudo. De ter pegado uma mesinha para ser mesa de jantar e coloquei um patinho de barro no meio para decorar.
Esses foram os primeiros sinais de que eu sonhava em ter uma casa, decorá-la e ser dona do meu nariz.  Tão logo comecei a trabalhar, comecei a comprar revistas de casa e decoração e também, a acompanhar blogs. Não saí de casa tão cedo quanto gostaria, porque os imóveis aqui no Rio inflacionaram absurdamente justo quando me formei e entrei para o mercado de trabalho - que falta de sorte a da minha geração! Enquanto poupava dinheiro e ia comprando coisinhas para minha casa, que minha mãe guardava num lugar do armário que ela reservou para isso, eu brincava de desenhar como poderiam ser os ambientes da minha futura casa.
Quando enfim, consegui uma casa para chamar de minha, foi uma realização sem igual. Só que, ao mesmo tempo em que me senti imensamente feliz por ter realizado um sonho de infância que vinha se tornando mais forte com o passar dos anos, eu estava passando por um problema em outra área da minha vida. Para não sucumbir, resolvi criar o blog. Sim, esse blog foi criado num momento de dor. Foi a forma que eu encontrei de me desligar um pouco do momento ruim que eu estava vivendo, e potencializar o que de tão bom estava acontecendo - era a fase da casa nova e de decorar tudo do zero! Foi uma fuga, e posso dizer que funcionou.
Mas o que era uma fuga, com o passar do tempo, virou uma paixão. Com o blog, passei a prestar muito mais atenção nos detalhes dos ambientes que vejo por ai, e com isso, descobri coisas incríveis, que nunca tinham me passado pela cabeça. A blogagem com a equipe SOS Decor - DIY Coletivo, me obriga a estar sempre buscando novos materiais e desafia a  minha criatividade todo santo mês.



Percebi que precisava alimentar mais ainda o que se tornou uma paixão. Resolvi estudar. Me matriculei num curso de design de interiores. =D
Apesar de eu ter algumas parcerias, o blog não é meu ganha-pão. Tenho um emprego, como museóloga, que paga as minhas contas. Sempre bloguei nos "intervalos" da vida: à noite, fim de semana. Eu tinha mais ou menos uma rotina para dar conta desse espaço, e grande maioria das postagens são programadas. Mas agora, com o curso, confesso que estou penando. Além das aulas em si, preciso estudar em casa, fazer meus trabalhos. Ainda não me adaptei a essa nova rotina, tenho chegado em casa por volta de 23h quase todo dia!
Não vou sumir, fiquem tranquilos. Posto em média 3 vezes por semana, talvez eu tenha que reduzir essa frequência, mas abandonar o blog está fora dos meus planos. Afinal, foi justamente por causa dele que resolvi estudar, como abandoná-lo por causa dos estudos?  Vocês já devem ter reparado nas últimas semanas: estou demorando a responder comentários. Eu não me tornei uma blogueira inacessível (Deus me livre disso!), eu  estou só mega enrolada mesmo. Então, tenham um pouco de paciência, mesmo que eu demore, vou responder todos os comentários! Se for urgente, pode me mandar e-mail ou falar comigo pelas redes sociais, que é um pouco mais fácil de responder.
Esse post foi para pedir que vocês compreendam esse momento de adaptação, que tenham paciência. E também que não me abandonem, voltem seeeeeeempre (blogueira carente falando aqui, rs), e que torçam por mim! =)

26 de março de 2015

DIY Cougar Town: como fazer vela aromática

Eu gosto de me inspirar em praticamente tudo que envolve arte de alguma forma: livros, filmes, seriados. Mas ultimamente, estou com a vida mais corrida do que nunca, tenho chegado em casa tarde e cansada. Daí, acabei tomando gosto por séries de comédia, primeiro por terem apenas cerca de 20 minutos por episódio, e segundo, porque não exige que eu preste muita atenção justo num momento em que estou parando de funcionar.
Cougar Town é uma dessas séries bem leves, que apesar de não ser a minha preferida, acabei criando carinho por ela. Até porque, quando estou mais descansada, ela me ajuda a perder um pouco o medo do inglês.
Eu estava querendo fazer uma vela aromática. Já tinha visto vários tutoriais na internet, e queria testar. Daí uni o útil ao agradável, e fiz uma vela inspirada no seriado! =)

Dá o play aí!



Caso você nunca tenha assistido esse seriado, e ficou meio perdido nas cenas, você pode ver os vídeos de melhores momentos no Youtube. Clique aqui para ver alguns deles.





Outros tutoriais inspirados em algum tipo de arte que já rolaram por aqui:

- El sueño de Valentín (filme argentino)

- Filmes inspirados nas obras do britânico Tolkien, como o Hobbit e Senhor dos Anéis

- Friends

- Charlie Chaplin


OBS: para fazer a minha vela, eu usei parafina, achei mais fácil assim, e como corante usei giz de cera. Mas dá também para fazer usando vela de 7 dias e corante para velas, e a Stephany, do Feita com muito esmero já mostrou como, aqui


Qualquer dúvida, já sabe, né? Fique à vontade para perguntar!

25 de março de 2015

Uma casa, 5 dicas: Explosão de cores




Eu imagino que deve ter muita gente por aqui que ama cores, mas que não sabe por onde começar a colocá-las dentro da própria casa. Afinal, somos brasileiros, a nossa cultura é cercada por cores de tudo quanto é lado e eu acho difícil ver por aqui amantes da decor mais neutra. Pelo menos grande parte dos meus amigos curtem uma cor! Por isso quando encontrei essa casa no Apartment Therapy, tempos atrás, guardei o link, para mostrá-la a vocês depois. Sim, eu sou dessas que tenta guardar link de tudo. Fico mandando por e-mail, e tento escrever um título que eu consiga achar meses depois! hehe.


1) OS CÔMODOS NÃO PRECISAM SER TODOS DA MESMA COR

Em geral, cômodos são divididos por portas e paredes, então, se você é fã de várias cores e não consegue escolher uma só, não precisa se preocupar tanto com a "unidade visual", já que estamos tratando de ambientes separados. Deixe essa preocupação para ambientes integrados, tal como uma sala que comporta o jantar e o estar. Pode ter uma sala cinza e um quarto vermelho? Pode! 
Eu particularmente não teria um quarto vermelho, porque acho uma cor forte para um ambiente que preciso relaxar. Mas se você se identifica, se o fato da cor ser muito viva não te incomoda, está ok!




2) APOSTAR NUMA COR EM TODAS AS PAREDES É PERMITIDO

Isso já foi muito comum no passado, mas hoje em dia, as pessoas apostam numa cor mais marcante em uma ou duas paredes, inclusive aqui em casa é assim. Mas eu não acredito em modismos, e acho que é perfeitamente possível pintar todas as paredes de uma cor colorida, se isso te fizer bem. Se é uma cor que você gosta e não vai te cansar tão cedo, porque não?
Mas se tiver muita vontade de pintar todas as paredes, mas está com receio de se cansar, faça um teste num ambiente que você passa menos tempo.




3) MÓVEIS NEUTROS + PAREDES E ACESSÓRIOS COLORIDOS

Móveis neutros são sempre uma mão na roda para quem quer abusar das cores nas paredes e nos acessórios. Eles "quebram" o tanto de cor e ajudam o ambiente a não ficar tão carregado visualmente. Se eles forem brancos, trazem um ar de "limpeza", se forem de madeira, imprimem uma pegada mais aconchegante. A sua escolha vai depender da mensagem que você quer passar.






4) O MOBILIÁRIO DA COZINHA NÃO PRECISA SER NEUTRO

Muita gente adora cor, mas tem medo de apostar nelas no mobiliário da cozinha. Mas os móveis da cozinha só devem ser neutros se você assim o desejar, não porque você tem medo ou porque convencionou-se que cozinha deve ser neutra. Se você ama cores e sonha com uma cozinha turquesa, se joga, seja feliz na sua casa!




5) APOSTE EM DETALHES DIVERTIDOS

Acredito que de um modo geral, quem gosta de cor não é uma pessoa tão séria. Se você não é tão sério, provavelmente adora coisinhas divertidas. Então, porque não aproveita para investir esse seu lado divertido na decoração? Apele para objetos inusitados em lugares inusitados. Pode até não fazer sentido para os outros, mas o mais importante é que sua casa tenha sentido para você!



Vocês seguem alguma dessas dicas? Eu sigo apenas a última! rsrsrsrs.... a menos que vocês considerem o corredor como um ambiente inteiro.... porque as paredes do meu corredor são todas vermelhas! =P

Mais fotos e post original aqui. Eu sempre digo isso, mas ó, vale a pena dar uma espiada no post original!

23 de março de 2015

Reforma de móvel: antes e depois do pseudo-buffet

Móveis com a nossa cara é tudo de bom, né? Por isso fiquei tão feliz quando ganhei esse buffet. Além da pegada meio antiguinha, ele é mais largo e estreito que o anterior, o que fez com que acomodasse melhor os meus materiais de artesanato (por isso que chamo de pseudo-buffet, hehe). Fora que ele é de muito melhor qualidade! =D
Para ser sincera, eu gosto da cor original. Acho que ficaria lindo numa decor inspirada na escandinava. Mas além do meu piso ser bem escuro, tem esse sapo ali ao lado, então, eu achava que esse canto ficava meio pesado, sabe? E isso me incomodava.


Confesso: não foi tão simples decidir o que eu queria. Só sabia que queria azul. Mas não desejava pintar tudo por igual. Cheguei a cogitar pintar o móvel de um tom, e as portas e gavetas, de outro. Depois tive a ideia de colorir só a estrutura. Só que eu só tinha visto isso em móveis mais modernos, e não tive muita certeza se ficaria bom no meu.

Imagem: TINI Furniture/ @thisisnotikea
  Mas o Universo às vezes conspira a favor, e a internet e os aplicativos de celular também. Passeando pelo Instagram, encontrei o perfil da TINI (@thisisnotikea), uma loja de móveis usados que fica em Los Angeles. Achei o perfil deles tão, mas tão bacana, e já que eles estão longe demais para eu comprar alguma coisa para minha casa, saí fuçando todas as fotos só para sorrir (eu não sou normal, já disse isso para vocês?) e me inspirar. Eis que dou de cara com essa belezura aí ao lado! GENTE! Não bastasse o móvel da foto ser pintado exatamente do jeito que eu tive a ideia, mas que estava insegura, ele ainda era azul! Um golpe de sorte e tanto, né não?


Depois dessa foto, eu não tive mais dívidas! =D Tive certeza de que funcionaria! Ó só:


Não, não vai ter passo a passo. Primeiro, porque já há milhões na internet. Mas se você estiver com preguiça de procurar, posso te dar dois links bem mastigados - clique aqui ou aqui. Segundo, porque reformei da forma mais "errada" possível. Errada entre aspas, porque foi um erro proposital. Como eu gosto da cor original do móvel, e conto com a possibilidade de querer voltar a ela um dia, não lixei. Justamente para a madeira não absorver a tinta, e me permitir voltar ao original no futuro.

Pintar o móvel não era suficiente. Senti necessidade de tampar o vidro, porque o que guardo ali não é muito bonito. São materiais armazenados em caixas de sapato, e isso não combina com sala de jantar! Apelei para um papel adesivo de florzinha, como vocês podem ver na foto abaixo. Mas de longe, parece que é branco.  =/  Não curti muito isso. Vou ver se acho outro com estampa maior, mas por enquanto, vou deixar quieto.


Mais fotos, do ambiente e dos detalhes, só porque eu estou apaixonada!!! <3




Não se assustem com o acetato. Ele não vai ficar aí, vou encomendar um tampo de vidro. Mas enquanto não tenho tempo de providenciar isso, ele protege a pintura - afinal, eu pintei da forma "errada", né?





O móvel não é meu único amor. Os objetos também são meus queridinhos! 

- A câmera gigante registrou a minha infância no final dos anos 80 e início de 90, não só as brincadeiras, mas também o meu processo de adquirir a linguagem. 
- O boneco articulável, comprado na Ikea de Lisboa - Portugal, eu coloquei numa posição que me lembra um salto que tem na ginástica artística e eu espero conseguir fazer um dia! 
- A máscara do teatro me é muito preciosa, acho que já comentei aqui que o teatro foi o primeiro contato que eu tive com a arte.  
- A pintura é de minha autoria, e me remetem às ruínas incas que vi em Cusco - Peru, para onde fiz a melhor viagem da vida até agora. 
- E os livros são todos sobre arte.

Ou seja, eu olho para esse canto, e me encontro!

E vocês, se encontram em pelo menos um canto da casa?

17 de março de 2015

Inspiração: 10 luminárias para você mesmo fazer



Tem gente que vê um monte de belezura nos blogs de decoração e faça-você-mesmo, e acha que somos super heróis, que sabemos tudo e nada nas nossas casas dá errado. Ledo engano. Uma das minhas maiores frustrações é nunca ter feito uma luminária, porque morro de medo de mexer com a parte elétrica e botar fogo na casa. Fuén, fuén! Eu sei que tem tutoriais que ensinam, mas como lidar com o medo de fazer uma cagada do tamanho das pirâmides do Egito? Eu precisaria que alguém me ensinasse ao vivo, e fosse fazendo comigo, sabe? 
Eu ainda vou chegar lá, gente! Juro que vou! Mas enquanto isso não acontece, ó só os tutoriais de luminárias que eu trouxe para vocês. tem de tudo: de mesa, de pé, pendente... tem uma galera bem criativa internet afora! 



LUMINÁRIA RECICLADA (LATA + CESTO) - POR LEO CLÍMACO, A CASA QUE A MINHA VÓ QUERIA

O que eu mais gosto nesse pendente é que eu consigo vê-lo tanto numa casa de praia, num apê de cidade grande, bem como numa casa de campo. 




LUMINÁRIA DE MESA RECICLADA COM LATA -  POR VIVI VISENTIN, DECORVIVA

Quem disse que a simplicidade não pode fazer uma bela vista? Latinhas que iam para o lixo + uma tinta bacanuda fazem o lixo virar luxo, né não?




LUMINÁRIA DE MESA  COM LIVROS -  POR EDUARDO MENDES, HOMENS DA CASA

De todas as luminárias desse post, essa é a minha preferida! Quando eu aprender a mexer com a parte elétrica, certamente essa será a primeira que eu tentarei fazer. Desde bem novinha, eu tenho um amor infinito por livros! Não é a minha cara isso?




LUMINÁRIA PENDENTE -  POR EDUARDO MENDES, HOMENS DA CASA

Simples e estiloso ao mesmo tempo! Não é muito a minha cara, mas eu acho sensacional para quem quer uma pegada mais descolada.



LUMINÁRIA REVISTEIRO - POR KAREN RAMPON, POT-POURRI DA KAREN

Para quem gosta de esticar as pernas e ler um bom livro ou revista, tipo eu, luminárias de pé são uma ótima pedida! Essa tem um design simples, clean, além de ser funcional.



VÍDEOS: DIVERSAS LUMINÁRIAS, POR ERIKA KARPUK

A Erika é uma designer de interiores super a favor do faça-você-mesmo, e além de já ter mostrado alguns tutoriais de luminárias no próprio canal dela, mostrou outros também no canal da revista Casa e Jardim.
Eis os vídeos:










*Todos os títulos, salvo o dos vídeos são clicáveis. Ao clicar, você será redirecionado ao passo a passo dos respectivos blogs.

** As imagens foram extraídas todas dos posts originais. A foto da capa é da Karen, e foi editada por mim, com a devida autorização.


E você, já fez luminária alguma vez? Qual dessas é a sua preferida? 

13 de março de 2015

Repaginando a lavanderia - parte 1: Pintando azulejos



Já comentei aqui algumas vezes: tenho problemas com a minha lavanderia. Ela é um "ângulo quebrado" no final da cozinha, e ainda por cima, a máquina de lavar fica meio de frente para o tanque. Ou seja, é um espaço meio difícil de planejar a organização e a decoração. Não cabe nada, e eu nem passo livremente entre a máquina e o tanque, tenho que virar de lado, acreditam? Se eu já morasse aqui quando foi feita a obra para a troca da parte hidráulica, eu teria contratado um arquiteto para fazer desse espaço algo mais funcional.
Como é um ambiente da casa que eu não curto ficar - não por ser pequeno, mas por não ser funcional - acabei deixando de lado por um tempinho. Em 2013, fiz um cursinho de decor com a Manu Mitre, e comecei a decorar a lavanderia, sobretudo a parede que é bem visível da porta da cozinha. As minhas modificações na época viraram post no Casa da Idea, e você pode ver aqui. Fiz muito pouca coisa depois disso, e acabei não executando os planos que tinha para a parede do tanque.

Mas o Universo sabe que todos os cantos da casa merecem carinho e atenção. Daí ele conspirou a favor, e no final do ano passado ganhei da Coral,  a tinta Wandepoxy, que é uma tinta epóxi à base de água. É uma tinta para renovar azulejos e pisos de banheiros e cozinha. Eu adorei a novidade, porque sempre que posso, evito usar tintas à base de óleo. 


Quem me acompanha no instagram viu quando a caixa chegou aqui em casa. A apresentação deles foi a coisa mais bacana que já vi. Além da tinta, veio os materiais que em geral fazem parte de uma pintura: bandeja, fita crepe, pincel e rolo. E veio também esse azulejo personalizado com o nome do blog! Gente! Como não amar?



Em janeiro, a Thamyrez, do Casa Design Studio, veio me ajudar a pintar os azulejos da lavanderia. Estava um calor dos infernos, e a cada etapa, corríamos para o quarto nos refrescar um pouco no ar condicionado, rsrsrs. Mas a gente se divertiu! Eu nunca tinha pintado parede, e sério gente, é legal! Ainda mais tendo comida japonesa no almoço, não tem como não ser divertido!
Nós começamos pintando as extremidades com o pincel, e depois fomos pintando com o rolo. Nada muito diferente da técnica que se usa para pintar uma parede comum. No meu caso, duas demãos foram suficientes.

Já se passaram dois meses desde que a minha lavanderia foi pintada, e nesse meio tempo, já lavei roupa várias vezes, já respinguei água, já pingou do varal.... e a pintura está inteira, firme e forte! =) 
Mas a minha lavanderia tem janela, o que ajuda a não reter a umidade. Caso você queira pintar algum ambiente fechado, como o meu banheiro (sério gente, meu banheiro não tem janela!), aconselho a entrar em contato com a Coral e pedir orientação, porque eu não sei se para casos específicos como esse tem que ter algum procedimento diferente.

A parede pintada já deu outra cara para o ambiente, e acabei me animando outra vez a decorar esse espaço! Troquei o papel adesivo anterior por esse de florzinhas, e já separei alguns quadrinhos, que ainda não coloquei, porque estou definindo a disposição. Mas isso é assunto para a parte 2! 

As fotos não estão boas, eu sei. Eu costumo fotografar com a luz do dia, mas a cor da tinta que saía nas fotos estava muito distante do que realmente é.  À noite, eu consegui uma cor um pouco mais próxima da real. Esse verde é o brilho marinho.

E vocês, já pintaram azulejo? Conta pra gente, vamos trocando experiências!

11 de março de 2015

Canais do Youtube que me inspiram: LagunaBeachLove10

Uma das coisas que eu observo em canais gringos é que tem muitos projetos rápidos, e vocês sabem o quanto sou chegada a projetinhos de 5 minutos!
Esse é o terceiro das gringas que trago para cá. O primeiro foi o espanhol DIY Lover, seguido do canadense LaurDIY. O LagunaBeachLove10 é americano e não está entre os meus preferidos. Na verdade, eu não tenho muita paciência para vídeos de favoritos do mês e afins, e não assisto. No entanto, isso não é motivo para eu deixar de segui-lo. Porque os DIYs da Nastazsa são bacanas. A grande maioria são de projetos bem rápidos mesmo e usando materiais baratos ou reciclados. Ou seja: são projetos que REALMENTE estão ao alcance de qualquer um, inclusive daqueles que acham que não levam jeito. 

Selecionei três para vocês. Mas como é de praxe, isso é apenas um aperitivo. Lá no canal tem beeeeem mais coisas.



  

  


Vale chamar a atenção para um pequeno detalhe: no primeiro vídeo, todos os projetos são feitos com marson jars. Não temos isso no Brasil, mas isso não é motivo para desculpas. O que não falta por aqui são potes de maionese, palmito, cereja em conserva, doce de leite, azeitona.... e se quiser letrinhas em relevo, dá para fazer com cola quente! Fica a dica! ;)

Qual o seu vídeo/ projeto preferido? Eu me amarrei nas duas mesinhas: tanto a de vinil quanto a de metal com tampo de madeira! 

9 de março de 2015

Antes e depois: 4 dicas para modernizar um quarto sem perder a vibe de "antiguidade"




Gente, eu AMO o Apartment Therapy! São muitos os posts que eles sobem semanalmente e é impossível não encontrar algo que te inspire. 
Eu gostei bastante desse quarto que eu separei para vocês hoje. Isso porque eu adoro mobiliário antigo, eles em geral têm um design mais trabalhado, são de melhor qualidade, e ainda carregam história. Mas não curto ambientes que me remetam a conventos ou museus-casa. O que eu mais gostei, foi que em geral, as pessoas dão cara nova ao móvel antigo renovando-o; e nesse caso, deram cara nova ao móvel, renovando o que está ao redor.





Vamos às dicas?


1) VALORIZE  A PAREDE

Móveis antigos costumam se sobressair e ficar com uma pegada mais contemporânea se estiver em contraste com uma parede decorada. Nesse caso, usaram stencil para baratear o projeto, mas você pode usar papel de parede comum, papel de parede autocolante, tecido, e até  carimbos!
Tenha o cuidado de escolher alguma estampa que dialogue com o móvel, sem pesar o ambiente.


2) INVISTA EM DETALHES QUE TRAGAM ACONCHEGO

O mobiliário antigo, desses do século XIX desacompanhados é que deixam o ambiente com cara de convento. Pelo menos, quando eu leio um livro em que algum personagem mora em convento ou mosteiro, sempre imagino o quarto do noviço ou noviça como esse da primeira foto. O que ajuda o ambiente a ficar mais aconchegante, com personalidade, são os detalhes decorativos como: tapete, manta, cesto. Não tem na foto do depois, mas podemos inserir: almofadas, quadros, bibelôs que tenham algum significado para você.


3) MISTURE O ANTIGO COM O MODERNO

As prateleiras servindo de mesinha de cabeceira já estavam quebrando o "antigo" na primeira foto. Mas as luminárias, de design mais antigo, não ajudava a modernidade das prateleiras se sobressaírem, além do abajur não ser muito funcional para quem gosta de ler na cama à noite. Ele foi substituído por uma luminária mais leve, com gancho - o que liberou espaço na prateleira, que é aparentemente pequena. 


4) APOSTE NAS PLANTAS

Dificilmente você errará. Plantas sempre trazem mais vida ao ambiente. Podem ser flores, folhas. Reais, desidratadas e até, artificiais. Há quem não goste dessas últimas, mas para quem gosta, está liberado! ;)  Para quem quer ter alguma planta de verdade e não tem tempo ou não consegue cuidar, apele aos cactos!



E vocês, têm algum móvel antigo em casa? Seguem alguma dessas dicas?
Eu sigo a 2, 3 e 4.


Fotos, post original, história desse antes e depois, bem como as dicas para fazer o stêncil estão AQUI. Vale a pena ler, fica a dica.

6 de março de 2015

Inspiração: 4 cortinas para você mesmo fazer


Eu gosto muito de trazer projetos de faça-você-mesmo para esse espaço, mesmo que não tenham sido feitos por mim. Isso se dá pelo fato de eu defender que decoração pode e deve ser acessível. E um dos caminhos para fazê-la caber no bolso de todo mundo é colocar a mão na massa. Claro que existem projetos mais elaborados, que exigirão mais paciência, ou até mesmo, mais habilidade (leia-se treino). Mas há também projetos bem simples, ao alcance de quem nunca pegou numa chave de fenda. 

Eu nunca precisei fazer cortina de verdade (a que eu uso para esconder os fios do rack não conta! rs), porque quando me mudei, já tinha duas me esperando no apê. E como elas são boas e funcionais, eu as mantive. Mas esse blog não é um espaço só meu, e o objetivo dele é ajudar vocês a deixarem suas casas com cara de lar. Como imagino que não é todo mundo que encontra uma cortina já te esperando na casa nova, separei alguns tutoriais que podem ser úteis para quem está a procura de uma cortina, mas ou está sem verba, ou não encontra uma que goste.



CORTINA DE PIA, Por Carla Maciel - Arquitrecos

Essa é de pia, mas além da possibilidade dela ser útil a quem não tem armário, acredito que dê para adaptar em janelas.



PERSIANA FAKE, Por Rafaela Fajardo - Casa Montada

E daí que é fake? Se atender às suas necessidades e deixar a sua casa com a sua cara, porque não? Dependendo do seu estilo, você pode apostar em estampas divertidas, românticas, ou num tecido liso e clean. Imagino que chevron ficaria super elegante.



CORTINA DE VOAL,  Por Stephany Rodrigues - Feita com muito esmero

Para quem quer vetar a luminosidade, essa não é a cortina mais indicada, já que o voal é fininho.  Mas para quem deseja uma leve cobertura e algo que apenas orne a janela, essa cortina é super indicada. Eu particularmente acho bem fofa e teria em casa, até porque raramente veto a iluminação do meu quarto.



CORTINA DE FIOS, Por Maddu Magalhães

A cortina de fios é bem interessante para quem pretende dividir o ambiente, sem realmente dividi-lo. Para quem mora em quitinete, por exemplo, às vezes levantar uma parede ou colocar um armário para separar o quarto da sala compromete a luminosidade do ambiente que ficou longe da janela. O mesmo serve para quem tem home office no quarto: separar, nem que seja com uma cortina sutil, o ambiente de trabalho com o de dormir é extremamente benéfico.




E vocês, já fizeram cortina alguma fez? Em caso positivo, como?

4 de março de 2015

Personare: Decorando parede com fita isolante


Eu já divulguei no facebook e no twitter, mas como sei que tem algumas pessoas do meu público que vêm sempre aqui, mas raramente acompanham as redes sociais, achei que valia a pena avisar por aqui também.

Vocês sabem que eu defendo que decoração deve caber no bolso de qualquer um, em outras palavras, que todos podem ter um lar, uma casa que seja a sua cara. Essa semana, tive a oportunidade de levar um pouco desse conceito para fora desse espaço.  Na Personare, mostrei como decorar uma parede com fita isolante e dei alguns macetes.

Curioso? Clique aqui.

Espero vocês por lá! =)

3 de março de 2015

Resumo do mês: Fevereiro




"São as águas de março fechando o verão
É promessa de vida no teu coração"

(Tom Jobim, 1972)



Esse refrão me define nesse momento. A chegada de março para mim é motivo de muita alegria: mais dias nublados - a frase dessa música costuma representar muito bem a realidade carioca - menos calor, e consequentemente, mais energia! Eu fico muito mais animada para fazer projetos para casa e escrever aqui com temperaturas mais amenas. E eu preciso confessar uma idiossincrasia: AMO colocar a mão na massa em dias chuvosos! 

Esse início de mês acabou sendo meio tumultuado, e o post do DIY Coletivo foi ao ar antes do resumo do mês. Mas cá estou eu com tudo que se passou no mês passado, se você tiver perdido alguma coisa, é só clicar no título! ;)




Qual foi o seu post preferido do mês? Conta pra mim, vai! =)

2 de março de 2015

DIY Coletivo - Cinema em casa: El sueño de Valentín



Quem gosta de esticar as pernas e ver um filminho com guloseimas no colo, levanta a mão!
\o/

Brincadeiras à parte, o cinema é uma manifestação artística que alcança um público muito maior que o teatro, a literatura e as artes plásticas, por exemplo. E como tal, ele acaba tendo uma presença forte em nossas vidas, mesmo que não percebamos. Seja nos inspirando, com a filosofia de algum filme, seja nas brincadeiras e exemplos que damos no cotidiano.
Por isso que eu gostei muito do tema do DIY Coletivo desde mês (foi sugestão minha, eu tinha que gostar, né? haha). O DIY pode ser qualquer coisa inspirada no cinema: no próprio cinema em si, na história de algum filme, em algum título, nos materiais que envolvem a indústria cinematográfica. 

Eu decidi me inspirar num filme. Não nas imagens, mas nas mensagens. Há filmes que me marcam por servirem de reflexão e lição de vida. Em geral, o cinema francês e o argentino despertam em mim esse tipo de sentimento.

Com a mudança da decoração do meu home office, eu estava precisando de algo que organizasse os bloquinhos que uso para o blog, e também a minha bolsinha de pendrives. Como ele ficaria na escrivaninha, achei que era uma excelente ideia fazer um revisteiro com o tema de um filme inspirador, assim, eu sempre serei inspirada, já que me sento à escrivaninha com frequência.

EL SUEÑO DE VALENTÍN - Por Alejandro Agresti - Argentina, 2002.

Na Buenos Aires dos anos 60 vive Valentín (Rodrigo Noya), um menino de 8 ou 9 anos que mora com a avó. Ele desconhece o conceito de família unida, o que é ser amado pelos pais. Ele sonha em ser astronauta e vive treinando para ser um, embora sua avó diga que ele precisaria ser norte americano ou soviético. Mas seu maior sonho mesmo, é ter uma família "normal", unida, mas seu pai só aparece vez ou outra, e vive mudando de namorada. 
O que eu acho lindo nesse filme, é que apesar das adversidades, Valentín reclama de algumas coisas, mas não da vida. Ele consegue ser feliz, apreciar as coisas simples e ser dono de um otimismo ímpar. Ele me faz lembrar o quanto sou afortunada por ter nascido na família que eu nasci, por jamais ter duvidado do amor dos meus pais; por me sentir segura, sabendo que se acontecesse dos meus pais morrerem, eu não estaria sozinha no mundo. E é também um exercício para os momentos não muito felizes: sempre há alguém numa situação teoricamente pior que a nossa, mas com o coração muito mais pleno, em paz. Resumindo: esse filme me lembra de que a felicidade está dentro de cada um de nós, que alcançá-la, depende de como eu lido com as adversidades da vida.


Vamos ao passo a passo?

Esse revisteiro que eu fiz é bastante comum e tem muito passo a passo dele internet afora. Eu fiz apenas algumas adaptações.



A primeira parte do passo a passo tem nesse vídeo, entre os minutos 0:21 e 2:15. Só que eu não usei papel de presente. É aí que começa as minhas adaptações e o meu passo a passo:


Passo 1:  Arranque folhas de um livro velho, que esteja sem condições de leitura ou ultrapassado. No meu caso, usei um atlas escrito em Alemão, de sei lá quantos anos, que ganhei de presente de um vendedor ambulante de livros, no centro do Rio de Janeiro. Seria mais interessante se os escritos estivessem em língua hispânica, mas esse era o que eu já tinha em casa.

Passo 2/ 3: Com a ajuda da cola branca, forre o revisteiro já pintado de branco. Se as suas folhas já estiverem muito velhas como as minhas, muito cuidado nessa hora, para não rasgar. No vídeo, a menina forrou só por fora, mas como eu pretendia guardar coisas menores, forrei por dentro também.

Passo 4: Essas folhinhas de livro velho são bem mais frágeis que o papel de presente, é bom impermeabilizar com verniz artesanal.



Passo 5: Com caneta branca, escreva a frase da sua escolha no papel adesivo (contact) preto, cole no revisteiro e seja feliz! =)





Se você quiser fazer uma graça a mais, pode prender uma claquete de MDF na lateral. Fita dupla face é mais do que suficiente. 


Para quem nunca assistiu Valentín e ficou interessado, eis o trailer:




Outros filmes, que assim como Valentín, são carregados de mensagens que me levam a reflexão:
  • O fabuloso destino de Amélie Poulain (Le fabuleux destin d'Amélie Poulain) - França, 2001.
  • Janela (La ventana) - Argentina, 2008.
  • O pequeno Nicolau (Le petit Nicolas) - França/ Bélgica, 2009.
  • Feliz ano velho - Brasil, 1987.
  • O mágico de OZ (The Wizard of OZ) - EUA, 1939.

O meu post, com o meu passo a passo e minhas inspirações se encerram aqui. Mas ó, cabô, não! Espia só o que as outras meninas da equipe SOS Decor fizeram:




Pot-pourri da Karen
Casa Design Studio
Home Sweetener
The Blue Post













Feita com muito esmero






PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM!

 Este post faz parte do projeto DIY Coletivo da Equipe SOS Decor. Pra ficar por dentro de todas as blogagens, ou participar das próximas edições, basta ficar ligado na fanpage do Facebook  ou no nosso perfil no instagram.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...